Chegou a hora de trocar os computadores da minha empresa?

Em algumas visitas a novos clientes deparo-me com problemas de lentidão na rede ou nas estações de trabalho, e estes acham necessário investir em equipamentos por que lhes foi dito que era necessário, mesmo sem uma análise inicial do problema.

Por mais corriqueira que seja a manutenção de estações de trabalho, o costume de formatar o computador quando fica lento e muitas vezes troca-lo por que está velho e precisa de um novo pra melhorar o desempenho é algo que vem da mentalidade de muitos “técnicos” que não tem conhecimento para exercer a função, ou pior, querem apenas obter lucro sobre seus clientes sem ao menos fazer esforço e não tem noção do que estão fazendo sobretudo com o setor tão importante que é o TI.

A maioria dos computadores ativos no mundo tem pelo menos mais de 5 anos de uso como pode ser visto no relatório de tendências deste ano disponibilizado pela AVAST(link) em fevereiro deste ano.

Estamos vivendo uma transformação muito rápida na forma como consumimos informação e a evolução dos equipamentos também está ocorrendo em períodos cada vez menores, porém não há necessidade de mais processador e memória para a execução de tarefas simples como leitura de e-mails, acesso a internet e a edição de textos ou planilhas. Cuidados com a utilização dos equipamentos e a troca ou upgrade de algumas peças pode resolver os problemas de lentidão e dar sobrevida ao equipamento.

Dentre os fatores que acabam deixando computadores, servidores, modens, celulares e equipamentos diversos mais lentos com o tempo, está o consumo de cache ou arquivos temporários das aplicações que são executadas diariamente pelos usuários e pelo sistema.

Em muitos casos a limpeza do cache e arquivos temporários reduz o consumo de memória e deixa o equipamento mais rápido, quando isso não é suficiente pode haver a necessidade de aumentar a capacidade de memória RAM do equipamento ou trocar o disco rígido por um mais rápido.

Em servidores, quando ainda são locais deve-se analisar que tipo de aplicação instalada e se o upgrade ainda é aplicável. Alguns tipos de softwares como os B.I (link) tem um alto consumo de memória e processamento, o que tende a crescer com o tempo e pode haver a necessidade da migração para um hardware mais potente para a devida execução de suas tarefas.

Para evitar custos mais altos com equipamentos e dores de cabeça contrate alguém de confiança que tenha algum reconhecimento e possua conhecimento técnico sobre aquilo que está fazendo, quando não se tem uma relação intima com a tecnologia pode ser difícil diferenciar um profissional que entende de outro porém tente buscar referencias.

 

Conte-me se este texto lhe foi útil, deixe um comentário.

Não deixe de seguir nossa página nas redes sociais!!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *